The Legend of Zelda: Link's Awakening

Compartilhe:

Uma aula de como refazer um jogo clássico.


Apesar de não ter jogado o título de 1993, eu estava animado para experimentar este remake de Links Awakening e não me decepcionei. Além de ser absolutamente fiel à ideia original, o jogo traz gráficos muito bonitos, em um estilo bem original e que dão a impressão de você estar jogando um brinquedo real de cera.



Os personagens são carismáticos e a história, apesar de simples, é bem coerente. Há pequenas inserções interessantes, como o link pular e pequenas passagens com visão lateral. Há várias referências à Super Mario e até mesmo uma certa inspiração em Twin Peaks e seus habitantes de hábitos esquisitos.

Quanto à duração, é bem curtinho para um Zelda, mas isso não é demérito nenhum. Nunca sendo cansativo ou monótono, passei voando por algumas masmorras, mas outras me fisgaram durante muito tempo com puzzes mais elaborados, como a Eagle Tower, que obriga o jogador a descobrir maneiras de manejar uma bola de ferro entre diversas áreas.

O jogo parece acabar no momento certo, deixando um saudável gostinho de quero mais. Para os jogadores mais hardcore há também um modo "hero" em que a oferta de corações é menor e os inimigos causam mais dano. Torço para que a Nintendo invista em mais jogos da série com essa pegada simples e esse estilo gráfico, em paralelo aos "irmãos maiores" da série. Foi um ótimo interlúdio até a chegada do sucessor de Breath of the Wild.

Nota: 10/10